ARTIGOS

Obediência: um exercício de santidade




Autor: Paulo Eduardo
Data: 16/10/2016

Um dos passos primordiais para o crescimento comunitário é a obediência, seja na ampla comunidade cristã –  a Igreja –, seja em qualquer instituição secular, pois, ao obedecer, coopera-se e, sobretudo, acredita-se em quem está com a autoridade. Para obedecer, é preciso ter fé, confiança e desapego, então, tal processo é virtuoso para o caráter humano. Na história do povo de Deus, temos exemplos confortantes.

Abraão foi provado quando o Senhor lhe pediu o holocausto de seu filho, Isaque. Obedeceu, acreditou,  desapegou-se ao confiar plenamente que, ao fazer o que lhe fora ordenado, deixaria seu menino  bem. Efetivamente, entregou sua criança a Javé, a qual depois cresceu e teve vida justa e digna. José foi lançado em situação estranha à lógica desafiadora aos costumes de seu povo: sua noiva estava grávida de um filho não gerado por ele. Diante disso, como encarar os seus?  Confiante da presença de Deus e consciente da honestidade de sua noiva,  não a difamou, silenciou e, após o esclarecimento do anjo, levou-a para casa. E Maria – ah, Maria, doce nome –, aceita participar do projeto divino da encarnação do verbo de Deus com um papel crucial: gerá-Lo ao mundo. Ser jovem? Não foi obstáculo. Ser virgem? Também não. Como se daria? “Faça-se ”, aceitou ser instrumento do plano sem ser autora, pois acreditava demais no verdadeiro Autor, confiava bastante que tudo daria certo e desapegada de si estava para se entregar aos propósitos do céu.

Abraão, José e Maria podem até parecer-nos distantes, mas, para nossa graça, o convite que Deus nos faz exige-nos menos – muito menos – da fé, da coragem, da confiança e do desapego exigidos aos três. Na Igreja, por exemplo, a hierarquia de sacerdotes, catequistas, coordenadores e afins só nos é desafiadora por causa dos nossos pecados de vaidade e de julgamento, os quais nos podem levar a desconfiar, a apegar-se, a desacreditar e, consequentemente,  a desobedecer. O mesmo acontece em família, quando alguém não abre mão da individualidade e desrespeita a autoridade dos pais.

As três pessoas dos exemplos acima tiveram suas missões próprias, nós temos a nossa, em família, na comunidade cristã e nas instituições de que participamos – trabalho, escola, universidade e afins. Devemos, pois, honrar às autoridades – do Papa ao catequista/ coordenador; dos pais ao irmão ou primo com responsabilidade designada – conforme mandamento de Deus, com  a confiança necessária em um projeto maior, com a fé de que eles são uma permissão do Senhor em nossas vidas, com o desapego de que, em certos momentos, a autoridade não é nossa: seja em Concílios ou dogmas da Santa Igreja, na decisão do pároco, na ordem da mãe, na indicação do irmão mais velho. Assim como o perdão verdadeiro é aquele em que não fica lembrando o tempo todo do fato ocorrido, a obediência verdadeira é a adesão ao projeto proposto, com o desapego da ideia egoísta de antes.  É bem verdade que, diferentemente do trio exemplar, não lidamos com anjos nem com as ordens diretas de Javé, mas com seres humanos, falhos, pecadores, os quais são uma boa oportunidade para que possamos trilhar nosso caminho de purificação rumo à santidade.

Confira outros artigos de Paulo Eduardo

Vocação Matrimonial

 A vocação matrimonial é muito mais séria que simplesmente estar em uma relação, algo que também é sério, porém aquela se trata de um sacramento, um compromisso não apenas com o outro, mas com Deus. No capítulo...

Saiba mais informações

Famílias Restauradas, sociedade curada

  Construir uma família tem sido, cada vez mais, uma atitude desafiadora na contemporaneidade, em uma sociedade que almeja o prazer instantâneo, a elevação do ser humano como deus de si e o consequente esquecimento do próximo. É curioso que, aparentem...

Saiba mais informações

A oportunidade de amar

Jesus Cristo é a figura que estabelece um novo paradigma de preceitos religiosos, que dá sentido à Lei. Uma de suas principais reorientações é o olhar para o próximo, o outro que está diante de nós. O Senhor Nosso Deus não é...

Saiba mais informações

CONFIRA AQUI TODOS OS ARTIGOS

INÍCIO
LITURGIA DIÁRIA
HISTÓRIA
FOTOS
COLUNISTAS
VÍDEOS
NOTÍCIAS DA IGREJA
FALE CONOSCO