ARTIGOS

As diferentes formas de amar




Autor: Hiana Beatriz
Data: 16/03/2017

Às vezes nos questionamos quanto ao comportamento de algumas pessoas com relação a demonstrar sentimentos: uns muito calados, outros muito abertos. E, possivelmente, nunca acharemos alguém exatamente igual a nós. Isso, porque, em cada uma de nossas particularidades - ignorando o fato da existência daquelas mutáveis, por atrapalharem no nosso crescimento como pessoa - são encontradas características de nossa personalidade, que nos marcam nos fazendo únicos em toda a Criação. Como nos ensina Teresinha "se todas as flores quisessem ser rosas, a natureza perderia seu encanto primaveril." O encanto e importância das diferenças.

Sendo nós diferentes uns dos outros, amamos e nos sentimos amados de distintas formas. Portanto, é importante que reconheçamos que o amor não é tão simples quando lidamos com pessoas, tendo em vista qualquer relacionamento: seja amizade, namoro, noivado, casamento. É preciso doação de si mesmo, como nos mostrou o próprio Jesus Cristo. Sacrifício. Amar é sofrer. Não é comodidade, é ação. Sair da nossa zona de conforto para saber entender o outro.

E por que seria tão importante entender o outro se é mais fácil não fazê-lo? Primeiro, na intenção de se ter qualquer relacionamento citado anteriormente; segundo: porque Nosso Senhor tem sede de amar individualmente cada pessoa; portanto, serias um grande instrumento de amor e misericórdia de Deus para com os outros; e, terceiro: porque quanto mais amor se recebe, mais amor se quer dar. Fora que estamos num momento importante do nosso ano litúrgico, a quaresma. Então, nada melhor que sair de si mesmo em oferecimento a Jesus. Que alegria seria se tivéssemos enraizado em nós o desejo ardente de amar...

Mas, e na prática? Como perceber a forma que a outra pessoa se sente amada? Será que ela se sentiria assim ao receber uma flor inesperada? Um cartãozinho? Um silêncio em um momento difícil? Um abraço? Um voto de confiança? Um elogio? Pra saber isso, antes de tudo, é necessário ter conhecimento sobre o outro. E, acoplado à oração, fica mais fácil de perceber suas particularidades. Além disso, é importante notar que, muitas vezes, as pessoas demonstram amor por você da forma pela qual elas se sentem amadas: com carinho, com perguntas de preocupação, com surpresas, etc - o que precisamos, a partir daí, é olhar sem pressa pra perceber o outro na sua individualidade. Assim, pouco a pouco, entramos na realidade das pessoas que amamos, e conseguimos ser instrumentos da Misericórdia em suas vidas.

O amor é sacrifício, mas é um sacrifício de amor. Saiamos de nós mesmos assim como Nosso Senhor Jesus Cristo o fez.

O grande passo, muitas vezes, começa conosco! Sejamos santos e corajosos!

Deus abençoe.

Confira outros artigos de Hiana Beatriz

Nunca perca de vista o seu ponto de partida

"Nunca perca de vista o seu ponto de partida" é uma recomendação muito fundamental para nossa caminhada segundo nossa santa amiga Clara de Assis. No entanto, gostaria de abordar dois aspectos que quero que reflitamos durante a leitura (1) nós realmente tivemos um ponto de...

Saiba mais informações

Como sustentar-se na fé através da simples vivência do cotidiano?

Ainda que já saibamos da importância da oração para permanecermos firmes na caminhada, encontramos diversas situações do mundo que nos fazem pensar ser impossível conciliar cotidiano com oração. E, então, nos questionamos: Como nos...

Saiba mais informações

CONFIRA AQUI TODOS OS ARTIGOS

INÍCIO
LITURGIA DIÁRIA
HISTÓRIA
FOTOS
COLUNISTAS
VÍDEOS
NOTÍCIAS DA IGREJA
FALE CONOSCO